Dólar Comercial
CUIABÁ
  ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ECONOMIA E MERCADO

Procon-RJ aplica multa milionária na Itapemirim

Publicados

ECONOMIA E MERCADO

A Itapemirim Transportes Aéreos (ITA) foi multada pelo Procon Carioca — vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania do Rio — em R$ 12 milhões. Segundo o órgão de defesa do consumidor, em 17 de dezembro, a empresa foi notificada a prestar esclarecimentos sobre a suspensão de sua operação de transporte aéreo de forma inesperada e imediata, deixando os passageiros desassistidos. No entanto, após o prazo de dez dias concedidos para que apresentasse suas explicações, a empresa não respondeu.

De acordo com o Procon Carioca, a ITA deveria explicar o que levou à decisão de suspender temporariamente os voos e como os passageiros foram informados sobre essa interrupção.

Também deveria informar se passagens foram endossadas para outras empresas, quantas pessoas foram prejudicadas pela interrupção dos serviços e que medidas foram tomadas para amparar quem não conseguiu viajar. A companhia área deveria ainda detalhar sua política de devolução dos valores das passagens.

“O Procon Carioca atua, sempre, promovendo e fiscalizando as relações de consumo e, quando necessário, aplica sanções cabíveis, previstas em lei”, ressaltou Igor Costa, presidente do Procon Carioca.

Leia Também:  Trabalhadores nascidos em setembro podem sacar auxílio emergencial a partir desta quarta-feira

Outra possibilidade de multa

O Procon-RJ — vincudado ao governo do estado — também instaurou um ato sancionatório contra a companhia aérea por entender que as justificativas iniciais feitas pela empresa não são suficientes e considerar que não está sendo oferecida o atendimento devido aos passageiros que tinham bilhetes comprados. Neste caso, a multa pode chegar a R$ 10 milhões.

Segundo o órgão de defesa do consumidor, que somava 288 queixas contra a empresa até quarta-feira (dia 12), a ITA não respondeu a todos os questionamentos feitos no âmbito do processo de investigação para apurar se a empresa estava cumprindo as leis consumeristas e as regras estabelecidas pela resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Cancelamento dos voos

A ITA teve o Certificado de Operador Aéreo suspenso pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) horas após a empresa anunciar, subitamente, a paralisação (em tese temporária) das operações em 17 de dezembro. Sem o documento, a empresa não pode voltar a voar.

Segundo a companhia aérea, cerca de 133 mil passageiros foram afetados pelo cancelamento dos voos, considerando viagens de ida e volta no período de 17 de dezembro a 17 de fevereiro — data em que a empresa diz pretender retomar as atividades, apesar de não haver nenhum indicativo de recuperação de licença até lá.

Leia Também:  Micro e pequenas devem sanar pendências para aderir ao Simples Nacional em 2022
Fonte: IG ECONOMIA
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA E MERCADO

Contratação de temporários cresce 20,6% e supera nível pré-pandemia

Publicados

em

O número de contratação de trabalhadores temporários no Brasil aumentou 20,5% em 2021 e ano e superou os níveis pré-pandemia. De janeiro a dezembro, foram registradas 2.415.419 vagas temporárias, diante de 2.002.920 no mesmo período de 2020.

Foi o maior patamar desde 2014, início da série histórica. Em relação a 2019, quando foram contratadas temporariamente 1.485.877 pessoas, o aumento é de 62,5%, segundo levantamento da Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário).

Segundo o presidente da associação, Marcos de Abreu, o trabalho temporário cresceu em todos os setores da economia durante a pandemia de Covid-19 porque é um regime atípico, que flexibiliza contratação e demissão em tempos de incertezas.

“Com a pandemia e a insegurança geral das empresas com relação às contratações, a modalidade ganhou destaque no Brasil e no mundo por sua eficiência”, explica Abreu. De acordo com ele, a efetivação dos temporários subiu de 15% em 2019 para 22% em 2021. “Com isso, são mais de 531 mil profissionais que se recolocaram no mercado de trabalho neste ano por meio da modalidade.”

Abreu afirma que boa parte das empresas demitiu profissionais permanentes, o que resultou em um aumento das vagas temporárias para atender a demanda aquecida a partir do segundo semestre de 2020.

“O quadro de insegurança levou a uma situação em que o empresariado prefere preencher os postos com temporários, pois se precisar efetivá-los, esse processo é muito mais ágil do que a abertura de um processo seletivo que exigirá entrevistas, escolha e treinamento”, avalia.

Leia Também:  Caixa Econômica libera novos saques do Auxílio emergencial nesta sexta-feira

As contratações por meio do trabalho temporário, que atendem à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de trabalho, devem seguir em alta em 2022, segundo estimativa da Asserttem.

“Mas, continuamos com um olhar cauteloso com relação às contratações, principalmente no primeiro trimestre do ano, devido a fatores como as incertezas do mercado, o clima e a nova variante Ômicron, um cenário em que as empresas estão receosas com o futuro e seguram a abertura de novas vagas”, ressalta Abreu.

Para ele, o setor da indústria deve reduzir o alto ritmo de contratações que foi verificado nos anos de 2020 e 2021, mas ainda se apoiará no trabalho temporário para atender suas demandas. “Já o comércio deve retomar as contratações, principalmente nas datas sazonais, e o setor de serviços, que estava contido, vem aos poucos repondo suas vagas e utilizando a modalidade para isso”, conclui.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA