Dólar Comercial
CUIABÁ
  ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FOLHAJUS

Poder Judiciário fecha as portas e adota teletrabalho por 9 dias para conter avanço da Covid-19 e H3N2

Publicados

FOLHAJUS

O Poder Judiciário de Mato Grosso adotou funcionamento em teletrabalho por 9 dias como medida para conter o avanço da Covid-19 e da Influenza H3N2. Por meio da Portaria Conjunta 1/2022, ficou decretado o fechamento das portas do Palácio da Justiça, dos fóruns das comarcas do Estado de Mato Grosso e de quaisquer dependências do serviço judicial entre os dias 11 e 20 de janeiro.

Não há qualquer prejuízo aos prazos, pois estão suspensos devido ao recesso judiciário que termina no dia 20. Durante o período de fechamento, as atividades jurisdicionais seguirão nos termos da Portaria-Conjunta n 249/2020, com as alterações promovidas pela Portaria-Conjunta nº 342/2021.

A posse dos 25 novos juízes esta mantida para o dia 21 (sexta-feira), no entanto a forma de realização da solenidade pode ser alterada, em virtude do avanço da pandemia.

A Portaria Conjunta 1/2022 é assinada pela presidente do TJMT, Maria Helena Póvoas, pela vice-presidente, Maria Aparecida Ribeiro e pelo Corregedor-Geral da Justiça, José Zuquim Nogueira.
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Lei que obrigava estabelecimentos armazenarem imagens de câmeras é considerada inconstitucional
Propaganda

FOLHAJUS

Menor que matou Isabele Ramos completa um ano de internação no Pomeri

Publicados

em

Apesar de a defesa ter apresentado diversos Habeas Corpus ao longo de 2021, a menor em conflito com a lei responsável por matar a adolescente Isabele Guimarães Ramos, completa um ano de internação na ala feminina do Complexo Pomeri, nesta quarta-feira (19).

O último recurso foi julgado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), no dia 14 de dezembro. Contudo, foi negado, assim como vários outros apresentados.

A menor segue internada no Pomeri desde 19 de janeiro de 2021, após decisão da juíza Cristiane Padim, da 2ª Vara Especializada da Infância e Juventude de Cuiabá. No dia 1 de julho, a internação da adolescente passou pela reavaliação, porém, com mais um revés para a defesa, já que a juíza novamente decidiu por mantê-la no Complexo Pomeri.

 

A sentença prevê internação de até 3 anos, com avaliação semestral, pelo ato infracional análogo ao homicídio doloso.

De acordo com matéria do Jornal A Gazeta, publicada em abril de 2021, a menor estaria usufruindo de privilégios no local. Ela recebia visita frequentes dos pais, além de ter solicitado acesso à Netflix e a internet, para poder fazer aulas online.

Leia Também:  Prefeito descarta novo fechamento do comércio e decidirá com comitê sobre outras medidas

Até então, 6 menina, contando com ela, estavam internadas. Com o aumento no número de internas, ela passou a dividir espaço.

O caso
Isabele Guimarães Ramos, 14, foi morta com um tiro no rosto, em 12 de julho, quando estava na casa da melhor amiga, uma adolescente de também 14 anos na época do crime.

A amiga alegou que o disparo que matou Isabele foi acidental, no entanto, o inquérito da Polícia Civil concluiu que o homicídio foi doloso, ou seja, com intenção de matar.

A investigação durou 50 dias e autuou 4 pessoas, além da adolescente, que chegou a ser denunciada pelo Ministério Público Estadual (MPE), foi internada e passou menos de 16 horas no Pomeri, mas conseguiu liberdade.

O processo está em andamento na Justiça e corre em sigilo. O Ministério Público do Estado (MPE) denunciou o empresário Marcelo Martins Cestari e a esposa Gaby Martins Cestari, pais da adolescente acusada de matar Isabele, pelos crimes de homicídio culposo, corrupção de menor, porte ilegal de arma, fraude processual e entregar arma para menor de idade. Caso condenados, eles podem pegar mais de 15 anos de prisão.

Leia Também:  Lei que obrigava estabelecimentos armazenarem imagens de câmeras é considerada inconstitucional
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA