Dólar Comercial
CUIABÁ
  ÚLTIMAS NOTÍCIAS

POLITÍCA & POLITICOS MT

União Brasil briga para eleger cinco deputados estaduais e dois federais

Publicados

POLITÍCA & POLITICOS MT

O presidente do União Brasil de Mato Grosso, senador em exercício Fábio Garcia, acredita que a candidatura de reeleição do governador Mauro Mendes deve garantir ao partido, nas eleições de outubro próximo, até cinco cadeiras de deputados estaduais e duas de federais. Em entrevista à imprensa, nesta semana, Garcia destacou as chapas do União Brasil para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal.

Para a Câmara Federal, o presidente do partido citou o nome de três mulheres, ao destacar que “isso é um grande potencial eleitoral”. Fábio Garcia nominou a ex-superintendente do Procon de Mato Grosso e advogada, Gisela Simona, e as empresárias Marchiane Fritzen, de Rondonópolis, e Ane Borges, de Sorriso. Gisela Simona, que disputou a Câmara Federal em 2018, em sua primeira candidatura política, teve 50.682 votos. A ex-superintendente do Procon de Mato Grosso também disputou a eleição para a Prefeitura de Cuiabá, em 2020, e ficou em terceira colocada na disputa, com 52.191 votos.

No caso específico da disputa de uma cadeira de deputado federal, o presidente do União Brasil, que também é pré-candidato a federal este ano, citou ainda como grande representatividade o ex-comandante-geral Polícia Militar, coronel Jonildo Assis e o empresário Antônio Humberto Bosaipo, filho do conselheiro aposentado do Tribunal de Contas e ex-deputado estadual Humberto Bosaipo. “São três mulheres com grande potencial eleitoral. E novos nomes no cenário, como o coronel Assis e Antônio Humberto. Assim, temos grande potenciais eleitorais, com capacidade para eleger dois federais em outubro próximo”.

Leia Também:  União veta retorno de secretário ao governo caso não seja eleito pelo PSB

Sobre a chapa de candidatos a deputado estadual, Fábio Garcia diz que é a mais forte no Estado. “Sem dúvida nós temos a chapa mais forte. Vamos fazer quatro estaduais e brigar pela quinta vaga”. A legenda, que contava com dois nomes na Assembleia Legislativa: o presidente da Casa, Eduardo Botelho, e o líder do Governo, Dilmar Dal Bosco, agora tem também os deputados Sebastião Rezende e Xuxu Dal Molin. Ambos eram do PSC e aproveitaram a janela partidária para mudar de partido.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLITÍCA & POLITICOS MT

Wellington diz que Bolsonaro não virá a MT no 1º turno e mostra preferência por ex-prefeita na suplência

Publicados

em

O presidente da República Jair Bolsonaro (PL) não virá a Mato Grosso durante a campanha eleitoral no primeiro turno. A afirmação foi dada pelo senador Wellington Fagundes (PL) durante a abertura da 1ª Edição dos Jogos Militares Estudantis de Mato Grosso, na manhã desta quarta-feira (17), na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Conforme Wellington, o grande aparato de segurança usado para deslocamento inviabiliza a vinda do presidente. “Hoje, uma campanha cabe a nós fazer, porque o deslocamento do presidente, no exercício do mandato, é segurança de estado. Então, ele só pode se deslocar com todo o apoio da Força Aérea Brasileira, com dois jatos e com a campanha pagando ainda. Então tem o ônus e uma dificuldade para esse deslocamento. Nós da classe política, achamos que o presidente deu muita atenção a Mato Grosso e nós do PL somo gratos”, afirmou.

Wellington também falou sobre a polêmica de quem irá ocupar a segunda suplência em sua chapa à reeleição. Hoje de manhã, o presidente estadual do PSB, deputado Max Russi mostrou irritação quando questionado se a legenda irá indicar alguém para a vaga e disse que o assunto deve ser decidido por Wellington e pelo governador Mauro Mendes (União Brasil). O indicado é o ex-vereador por Nova Mutum e produtor rural Joaquim Diógenes, que desistiu da disputa.

Leia Também:  Policiais recuperam madeira furtada e detém motorista sem habilitação em MT

Wellington negou qualquer mal-estar, porém sinalizou que apoiaria a indicação da ex-prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PL) para a vaga. O nome dela é cotado para assumir a coordenação da campanha de Bolsonaro (PL) na região Norte de Mato Grosso.

“Sinop é uma cidade polo bolsonarista e estamos discutindo a possibilidade dela ser a coordenadora de Bolsonaro naquela região. Acredito que de hoje para amanhã a gente chegue na melhor articulação e representação política da campanha. Caro que, por ser mulher, a Rosana como candidata também é importante, mas isso tudo nos vamos definir ainda, porque já temos o nome indicado pelo PSB, que é uma pessoa extremamente preparada também”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA